Falafel

Desde que provei comida libanesa no Dubai, fiquei fan, e o a. Também! Há uns dias decidi fazer o jantar libanês, mas meio improvisado!
Para começar fiz pasteis de falafel, vi a receita na net, mudei umas coisinhas e é super fácil!

Numa taça juntei:
1 lata de grão de bico
1 cebola média
1 alho (usei daquele que se compra triturado seco)
1 colher de café de cominhos
1 ramo de salsa picada
Sal e pimenta qb

20121118-190636.jpg

Triturei tudo no 123

Depois adicionei meia chávena de farinha e 1 colher de café de fermento (porque a receita mandava)

Amassei bem e fiz as bolinhas, não convém ficarem muito grandes para fritar bem.
Fritei as bolinhas em azeite até ficaram bem torradinhas.

Depois a parte improvisada… Não havia pão pitta, comprei tortilhas mexicanas, que substituíram muito bem!

No centro da tortilha, fiz uma fila de tomate picado, depois por cima leva os pasteis, o molho e salsa de novo, enrola-se e está pronto 😉

Ah, falta o molho…
Comprei um iogurte grego pequeno, juntei meio alho bem esmagadinho, umas gotas de sumo de limão, e umas de água, para não ficar espesso.

20121118-192200.jpg

Aiii, estava tão bommm!

Ainda Madrid

Vou só deixar aqui alguma dicas rápidas, opiniões e factos…

#1 Se alguém vai a pensar fazer compras, comprar coisas diferentes, presentes, etc, esqueça, do que vi, há pouco mais que inditex, não há praticamente lojas mais pequenas, originais, é TUDO igual, à excepção da Isolée e mais duas ou três no Chueca. Há que frisar apenas que a h&m da gran via, tem TUDOO, centenas de coisas que não há em Portugal.

#2 Tapas boas, em Barcelona era sítio sim sítio sim, em Madrid achei difícil encontrar, com muita pena minha.

#3 Há um El Cort Inglês em todas as ruas praticamente, é inacreditável, imensosss e óptimos!

#4 As ruas estão sempre cheias de gente, seja a que horas for, foi o que gostei mais, de ver a movida, sabe bem, e dá alguma segurança para andar na rua à noite.

#5 Fomos várias vezes ao Café & Té, tem muitos, espalhados pela cidade, o chocolate quente deles é uma maravilha!

#6 Vê-se muita gente a pedir esmola, muita mesmo, muita gente a dormir na rua, gente vestida ‘normalmente’ a mexer no lixo à procura de comida, fiquei impressionada.

#7 Pessoas…ou são super simpáticas e faladoras, ou são muito brutas.

#8 Não existem grandes centro comerciais como em Portugal, à excepção do El Cort Inglês, os dois maiores são o La Vaguada (o maior), fica na saída do metro Barrio del pilar. E o centro comercial Príncipe Pio, que fica na estação de metro com o mesmo nome, são do tamanho de um Amoreiras mais ou menos. Uma opção para dias de chuva.

#9 Junto à Plaza Callao, há uma Fnac enorme aberta 24h, achei inacreditável!

#10 Eles almoçam e jantam um pouco mais tarde que a maioria dos portugueses, pelas 15h e pelas 22h, respectivamente.

E de momento não me lembro assim de mais nada, se lembrar conto.

P.s. Para quem achava que m avião com duas filas de cadeiras duplas era mau e que nada poderia ser pior, eis que na volta me deparo com um ainda mais pequeno!!! Como era possível? Quando vejo o piloto passar um papel pela janela a uma pessoa que estava na pista, sim, tal era a altura do avião! Subimos apenas 5 degraus para a ‘avioneta’ onde mal dava para andar em pé, e tinha duas filas de bancos, uma dupla, uma singular! Que óptimo!! Estes pormenores para quem morre de medo de andar de avião, são super importantes! Mesmo!
Mas pronto, uma lágrima e uma hora depois estava em Lisboa. #graçasadeus

A Air Europa tem portanto uma cruzinha em cima, não que voo tivesse sido mau, não que fosse mal tratada, mas realmente não consigo viajar em aviões tão pequenos. Não há calmante que me valha e preciso ter mais pessoas à volta, principalmente daquelas que começam logo a dormir, ou que estão a rir ou a ler, super tranquilas da vida, para ver que realmente eu é que sou maluca, e todos os barulhinhos e oscilações são invenção da minha linda cabecinha!

Madrid #dia4

Mais um dia, e acho que é o último, porque o outro foi passado em compras e não tem grande interesse…

Então começamos o dia pelo museu Reina Sofia, apanhámos o metro para a estação de Atocha e fica muito perto indo a pé. Para quem não tem grande conhecimento de história de arte e por aí fora, penso que este museu acaba por ser mais interessante do que o do Prado, pelo menos para mim foi, porque se trata de arte contemporânea. É também onde está o famoso Guernica, de Picasso, que simboliza o bombardeamento e destruição da cidade de Guernica. Não se pode tirar fotografia nessa ala.
Algumas imagens do Reina Sofia

20121109-204132.jpg

O almoço foi novamente no bairro Chueca, que ficava bem perto do hotel, num restaurante simpático que se chamava Empat Belas lounge, fica ao lado da tal loja que gostei muito, Isolée. Comemos finalmente os famosos huevos rotos, que não são nenhuma ciência oculta de fazer, mas estavam óptimos!

20121109-205029.jpg

A tarde foi passada na Calle Serrano, a rua mais chique de Madrid rsrs, onde tem lojas como Louis Vuitton, Prada, Armani, por aí fora. Fica no bairro de Salamanca, dá para ir a pé desde a Gran Via, descendo até ao palácio de Cibeles, passando a rotunda, fica logo do outro lado.

Mais tarde jantámos num restaurante no fim da Fuencarral, de quem vem da Gran Via, chamado Orio, que também foi dos que mais gostámos. Tinha tapas maravilhosas para quem petisca ao balcão, e tinha uma sala no primeiro andar para comer à carta, foi a nossa opção. O preço médio é de 27€/pessoa. Ficam as fotos.

20121109-210645.jpg

Espero que seja útil a alguém este mini guia, já ficava contente 🙂
Vou ainda fazer um ultimo post sobre Madrid com dicas rápidas e opiniões.

Beso!

Madrid #dia3

Domingo é dia de ‘El Rastro’, como boas turistas, lá fomos espreitar. Descemos para a porta do Sol e continuámos a pé, íamos perguntando na rua onde ficava. Quando chegámos…meu deus, rios de gente, mal se conseguia andar, barraquinhas e mais barraquinhas que nunca mais acabavam! Para quem vai à espera de encontrar uma feira da ladra, como eu ia, esqueça! Não tem nada a ver, não tem quase bancas com objectos usados, tudo é semelhante a qualquer feira de ciganos comum. Fiquei desiludida, ia à espera de algo muito mais distinto. Os preços são iguais aos das nossas feiras ou mais caros. Aconselho na mesma a visita, mas sem grandes expectativas como as que eu tinha ,)

20121107-120035.jpg

Depois do marcado, subimos até à Plaza Mayor, ficámos indecisas entre almoçar lá ou no mercado de San Miguel, que é perto, mas decidimos pela praça, péssima escolha! A praça é linda, mas todos os restaurantes me parecem como aquele em que acabei por almoçar, muitíssimo caro e comida fraquinha.

20121107-120207.jpg

20121107-120426.jpg

Mais tarde fomos ao museu do Prado, aproveitámos que ao domingo, das 17 às 19h é entrada livre. Saímos na estação de Atocha e depois dá para ir a pé. Quem tem um mapa, tem tudo ,)
Estava uma fila enorme, mas não desistam, anda muitoo rápido!
Claro que 2h não dá para ver nem metade, quem quiser ver profundamente diria que são precisas duas tardes e muito conhecimento para conseguir apreciar todo o museu. Lá dentro não se pode fotografar, só tirei estas poucas voos cá fora. A ultima é de uma igreja muito bonita que há ao lado da entrada.

20121107-120855.jpg

20121107-120922.jpg

20121107-120950.jpg

Jantámos num restaurante lá. Perto, basta subir o Paseo del Prado até à próxima rotunda, fica do outro lado da estrada. Chama-se Estado Puro, e recomendo! Gostei muito, a comida é óptima, o espaço é muito giro e tem esplanadas com aquecedores, como muitas outras em Madrid. O preço médio é de 22€/pessoa.

20121107-122218.jpg

Adorei a forma como apresentavam a conta.

20121107-122349.jpg

20121107-122405.jpg

20121107-122605.jpg

20121107-122617.jpg

Tudo delicioso, e esses mini hamburguers eram a coisa mais fofa!!
Desculpem a demora do post, espero ser mais rápida com o próximo 🙂

Madrid #dia2

Ainda dia 2, demos umas voltas pela gran via, onde estava a haver uma manisfetação, e as lojas estavam lotadas de gente, não dava para ver nada. Andamos também pela fuencarral e chueca, tudo cheio por todo lado.
A Fuencarral é uma rua perpendicular à Gran via, apenas com lojas dos dois lados, essencialmente de roupa e sapatos e de preços baixos a médios.
Chueca é um bairro, tido como gay, onde podemos encontrar muitas sapatarias, restaurantes e algumas lojas mais alternativas. Foi lá que vi a loja que mais gostei em Madrid, a Isolée, que fica na Calle Barbieri, sinceramente as outras lojas são todas as que temos em Portugal, as de fast fashion (zaras, h&m etc), e as que não são, deixam muito a desejar. Isto do que eu vi, se alguém tiver uma opinião diferente que se acuse!

20121102-145313.jpg

Well, o jantar foi num restaurante grego chamado Dionisos na/o Chueca (não me lembro a rua, mas é uma das principais), um dos que gostámos mais, estava cheio e é preferível reservar mesa. Pagámos cerca de 16€/ pessoa.

Ficam as fotos…

20121102-145401.jpg

20121102-145414.jpg

20121102-145429.jpg

20121102-145444.jpg

Madrid #dia2

Ontem esqueci-me de dizer que comprámos o bilhete de 10 viagens de metro/bus, que custa cerca de 12€.
Sábado, decidimos começar pelo palácio real, chegamos por volta das 11h30 e estava uma fila enorme, que andou rápido até, +- meia hora. O bilhete normal custa 10€, depois há descontos cartão estudante, idosos etc, pagam metade. Lá dentro é proibido tirar fotos, as únicas que tenho são clandestinas… Adoro palácios, é a tal história da curiosidade pela megalomania, havia salas para tudo, cada qual com a sua cor e estilo, demasiado trabalhadas para o meu gosto ‘palaciesco’, mas não deixa de ser impresionante! Pode visitar-se os salões oficiais, a farmácia real que adorei e a sala de armas.

20121030-003634.jpg

20121030-003703.jpg

Descemos a rua do palácio até chegarmos ao bairro La Latina, onde almoçámos no Buhoa Lounge, e gostámos muito, fica numa mini praça e vale a pena.

20121030-003928.jpg

20121030-003913.jpg

20121030-004013.jpg

20121030-003959.jpg

20121030-004155.jpg

O resto da tarde fomos conhecer o bairro Chueca e andámos pela gran via…
Vou dividir noutro post para não ficar muito grande.

Besos!

Madrid #dia1

Esta semana que estou em Madrid, tencionava ir escrevendo aqui um diário, e tentando dar algumas dicas e opiniões sobre a cidade, para quem pretenda cá vir, mas a net do hotel é um terror, e tem sido difícil:)

Sexta feira, quando chegámos ao avião fiquei em pânico, normalmente já tenho muito muito medo, cada vez mais, mas quando vi que íamos viajar praticamente numa avioneta, ui…ia morrendo! Era um avião da Air Europa, que não conhecia, e era daqueles com apenas duas filas de dois e bem apertadas…minúsculo! Enfim.
Chegamos quase à hora de jantar, do aeroporto à gran via, pagámos 30€ de taxi, mas existem autocarros a de 10 em 10 min para quem preferir.
Tivemos a agradável surpresa da óptima localização do hotel, chama-se Senator Gran Via, marquei pelo booking.com e fica mesmo o cruzamento da gran via com a fuencarral, com a porta a 2 passos do metro 🙂 super central, melhor é difícil! O hotel é agradável, mas fraquito para 4 estrelas.

Como é a primeira vez em Madrid, não sabemos bem o que fica perto, o que dá para ir a pé etc. Queríamos jantar na praça de Santa Ana, acabamos por apanhar o metro para Sol, quando afinal bastava descer uma rua, depois da praça del sol, que estava cheeeeia de gente, suponho que funcione como ponto de encontro, andámos 2 min a pé e estávamos onde queríamos jantar. Procuramos entre os vários restaurantes, que todos têm pratos muito parecidos, optamos pelo Cacho do José. Era agradável, nada de extraordinário, preço médio de 22€/pessoa. Ia com desejo de patatas bravas, mas as deles não eram aqueeeela coisa, pedimos também chopitos (lulas pequeninas fritas) e croquetes de presunto.
Depois de jantar comprámos logo um mapa e fomos a pé para o hotel.
Ficam as fotos…

Até amanhã ,)

20121030-001112.jpg

20121030-000820.jpg